O Bicudo é originário da América do Sul e Central, nas regiões onde a temperatura varia de 25ºC a 35ºC..." /> Bicudo
Bicudo

Bicudo

ORYZOBORUS CRASSIROSTRIS MAXIMILIANI


25/01/2016


História

O Bicudo é originário da América do Sul e Central, nas regiões onde a temperatura varia de 25ºC a 35ºC no verão. Pode ser encontrado do norte da Argentina até o México. 

É considerado um pássaro nobre. Procria pouco na natureza e, desperta a atenção pela sua elegância. Ao cantar costuma ficar com o rabo abaixado e o peito empinado, em posição ereta, ressaltando a aparência de guerreiro. 

Possui campos de visão e de audição muito aguçados. Voa com facilidade a uma altura onde nossa vista não o alcança. Sua velocidade durante o vôo é muito rápida, em virtude de sua envergadura, tamanho de suas asas, do rabo e o pouco peso.

Sua cauda é composta de 12 penas e,  possui17 penas em cada asa.  Pode ser avistado de longe, pois seu bico reluzente se destaca de tudo que está em sua volta, daí o apropriado nome – “Bicudo”.

As subspécies de maior destaque são: Oryzoborus crassirostris - Bicudinho-belenzinho;  Oryzoborus m. maximiliani - Bicudo-verdadeiro;  Oryzoborus m. gigantirostris - Bicudo-pantaneiro;  Oryzoborus m. atrirostris - Bicudo-do-bico-preto;  Oryzoborus m. magnirostris - Bicudo-pantaneiro-grandão. 

Na média das subespécies pesam cerca de 25 g, apresenta um comprimento de 16 cm e uma envergadura de 23 cm, o que lhe confere a capacidade de voar muito rápido e por longas distâncias. Sendo dotado de ótima visão e possui bico grosso e cônico, próprio para esmagar sementes.

Caracteristicas

Tamanho e ou envergadura: 15 cm de comprimento.

Cores tipos ou Variedades: 
Quando adultos os machos apresentam plumagem preta, com uma mancha branca na parte externa das asas. A  parte inferior das asas apresenta nuances de branco. O seu bico é branco ou manchado na maioria dos bicudos; só os da subespécie Astrirostris apresentam seu bico totalmente preto.  As fêmeas e os filhotes apresentam plumagem parda, em tons de castanho.

Tempo de vida natureza e ou cativeiro: 
Na natureza não há registro de exemplar que tenha vivido mais de 10 anos, porém, em cativeiro atingem 30 anos ou mais, por receberem dieta balanceada, cuidados sanitários e pela ausência de predadores.

Canto: 
É o mais aristocrático dos pássaros canoros. Possui canto melodioso, rico em notas e com voz flauteada. Toma postura ereta ao cantar, com o peito empinado e a cauda abaixada, destacando sua valentia e disposição para disputas territoriais. A frase musical do canto dos bicudos apresenta, por vezes, mais de 20 notas.

São muitos os dialetos de seu canto, originados nas várias subespécies e em diferentes regiões. Os mais conhecidos são : Canto Flauta Clássico,  Canto Alta Mogiana Clássico,  Canto Flauta Tulim Tulim, Canto Flauta Mato Grosso.

Comportamento

Na maior parte do tempo, são encontrados aos casais. Sendo um pássaro extremamente territorialista, domina o espaço de terra onde nidifica, não permitindo a presença de outros exemplares de sua espécie. A agressividade também é demonstrada para com outros tipos de aves, desde que entenda que está sendo incomodado. Seu território seria como um círculo em volta do ninho, de aproximadamente 100 metros de diâmetro, onde seu canto pode ser escutado com nitidez.  

A fêmea é também muito agressiva e pode travar luta de morte com outra fêmea para defender seu território e seu macho. Ela não aceita a presença de outra fêmea em hipótese alguma e costuma ser ainda mais ciumenta e violenta que o macho.
É comum o casal se desentender e se machucarem por ciúme, quando algum outro, macho ou fêmea, invade o território. 

O macho costuma usar de muita violência, obrigando a fêmea a se afastar de perto do adversário, para depois vir enfrentá-lo.  Está sempre migrando, pois, detesta ser incomodado e, se tal acontecer, reage de imediato, mudando de território.

Confinamento

Em gaiolas com 40 cm de comprimento x 40 cm de altura x 25 cm de largura.  Macho e fêmea não devem viver juntos, pois, pode ocasionar sérias brigas. O convívio, por tempo integral, também pode gerar a perda do interesse mútuo e, na época apropriada, os pássaros não acasalam.

Reprodução

Procria pouco na natureza. Os machos atingem a maturidade sexual dos 12 aos 18 meses e, as fêmeas dos 8 aos 12 meses. O período reprodutivo se dá durante a Primavera e Verão.

Gaiolas & Ninhos: 
A gaiola de reprodução deve medir 60 cm de comprimento x 40 cm de altura x 30 cm de largura, com divisória para separar a fêmea dos filhotes no momento certo. O ninho é tipo taça, feito em arame e bucha vegetal, forrado com fibra de sisal, devendo ter 7,0 cm de diâmetro e 4,5 cm de profundidade.

Acasalamento:
Macho e fêmea só devem permanecer na mesma gaiola apenas pelo tempo que durar a cópula. Antes, devem passar pela fase do namoro, porém, não podem se ver, só se ouvir. A técnica mais usada para o namoro dar certo, consiste em se deixar macho e fêmea em gaiolas individuais, separadas por uma barreira visual feita de compensado ou papelão (técnica idealizada pelo criador Marcílio Picinini de Matias Barbosa/MG). A fêmea indica o momento certo do acasalamento: ela vai ao ninho constantemente, se move muito, carrega fibras de sisal (colocadas na gaiola para estimula-la a preparar o ninho) e, aumenta o consumo de água. Quando a fêmea começa a abaixar ao ver o macho, solicitando cópula, coloca-se o macho junto a ela. Terminada a cópula, o macho deve retornar a sua própria gaiola, mantendo-se a barreira visual. Duas cópulas são suficientes para fertilizar todos os ovos de uma postura.

Postura & Nascimento: De 3 a 5 posturas por temporada, com 2 a 3 ovos por postura; incubação,de 13 dias, podendo os filhotes serem separados da mãe dos 35 aos 40 dias de idade.

Alimentação: Além da mistura de sementes, oferecer diariamente a ração Curió Club (Alcon), Top Life (Alcon)  e  Farinhada com insetos. 

Filhotes: São pardos e, os machos começam a adquirir a plumagem de adulto por volta dos 12 meses de idade. 

Outras Informações

Água: Filtrada, renovada diariamente, em bebedouro limpo.

Areia: Limpa, esterilizada, podendo ser fornecida junto com um complexo mineral. 
Os pássaros não possuem dentes, com isso uma mistura de grit mineral, areia fina, farinha de concha de ostras, carvão vegetal e sedimento calcário  age como promotor de eficiência alimentar, beneficiando e ajudando-os a digerirem o alimento. Várias misturas estão disponíveis no mercado

Farinhada: Encontrada a venda nas Agro-pets, constituem um importante componente no manejo alimentar dos pássaros, pois, possibilitam um melhor equilíbrio da sua dieta, permitindo a inclusão de vários complementos como prebióticos, probióticos, suplementos vitamínicos, aminoácidos etc.  É de fundamental importância na alimentação dos filhotes.

Osso Siba: A base de Sépia, um molusco da família da lula, que possui uma concha interna rica em minerais, principalmente o cálcio. O bloco de osso siba deve ser fornecido para pássaros de todos os tipos, o ano todo, principalmente nas épocas de postura e muda das penas. Além de reporem cálcio necessário, os pássaros usam o bloco para afiar o bico.